domingo, 4 de dezembro de 2011

Contacto precose pele a pele...

Desde há algum tempo que se tem vindo a questionar as práticas hospitalares existentes nas maternidades que retiram a possibilidade à mãe de estabelecer um contacto íntimo pele-a-pele com o seu bebé acabado de nascer. E, neste âmbito, têm sido efectuados estudos comparativos entre bebés e mães que estabeleceram contacto pele-a-pele precoce (na primeira hora de vida) e bebés e mães que não estabeleceram este tipo de contacto.

Concluiu-se que no grupo de bebés e mães que estabeleceram contacto pele-a-pele precoce:

1 - Existem “1 hora de ouro” após o nascimento que resulta num benefício máximo para quem deseja amamentar:


.....a) O recém-nascido apresenta uma reacção estrondosa ao cheiro materno, aproximando-se espontaneamente da mama;
.....b) Ocorre uma sucção eficaz e espontânea por parte do recém-nascido após o nascimento durante cerca de 1 hora, o que está associada ao prolongamento e manutenção da amamentação, ou seja, o contacto pele-a-pele durante mais de 50 minutos após o nascimento aumenta cerca de 8 vezes a amamentação espontânea;

.....c) Contribui para a ocorrência de menor ingurgitamento mamário.

2 - No que respeita à mãe, o toque, o cheiro e a temperatura são estímulos vagais que conduzem à libertação de ocitocina, a qual aumenta por sua vez, as respostas sociais, diminui a ansiedade materna e aumenta a temperatura em redor das mamas.
Além disso, as mães revelam mais comportamentos de apego, tais como: gestos mais carinhosos durante a amamentação, beijam mais os bebés, utilizam a posição face-a-face, seguram e tocam mais os seus bebés.

3 - Relati
vamente aos recém-nascidos verifica-se que quando colocados em contacto pele-a-pele, apresentavam temperaturas mais estáveis (perderam menos calor após o nascimento), a glicemia (nível de açúcar no sangue) manteve-se mais elevada e a frequência respiratória mais baixa, o que demonstra conservação de energia. Além disso, choravam menos vezes que os bebés que foram privados deste tipo de contacto.

Em suma, o contacto precoce pele-a-pele durante a “1ª hora de ouro” imediata após o nascimento fortificam a vinculação (apego entre mãe-bebé) e aumentam o sucesso do aleitamento materno.

O "Milagre de Vida" tem vindo a apostar quer na amamentação, quer na vinculação segura entre mãe-pai-bebé, dando especial destaque a estes temas no decurso das sessões do curso de preparação para o parto. Porque as evidências são inegáveis, contribuindo para famílias mais saudáveis e harmoniosas!




______________________________Vânia Coimbra

Bibliografia: LOWDERMILK, Deitra; PERRY, Shannon - Enfermagem na Maternidade, 7ªed, Loures: Lusodidacta, 2008


Sem comentários: