terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Como gerir birras e comportamentos inadequados...II parte

Estamos sempre a comunicar,
mesmo quando não falamos...


A comunicação faz-se através de palavras (verbal) e
também através de gestos, expressões faciais,
tom de voz, silêncios, etc. (não verbal).

No entanto, nem sempre conseguimos comunicar aquilo que realmente queremos, ou da forma como queremos.

A seguir damos algumas dicas para tornar
a comunicação mais clara e efectiva.


1. Fale calmamente
Fale num tom de voz calmo e pausado, usando frases curtas e directas. Diga uma coisa de cada vez (não salte de assunto).

2. Use mensagens “eu” em vez de mensagens “tu”
As mensagens “eu” centram-se em nós e promovem uma comunicação clara dos nossos comportamentos e sentimentos. Ao usar frases “eu”, embora esteja a confrontar a criança, porque está a falar sobre o seu comportamento, não a magoa.
Nas mensagens “tu” o foco passa a ser a outra pessoa e soam a criticismo. A outra pessoa reage quase sempre com raiva, sente-se humilhada e tem uma atitude defensiva.
Exemplo:
Mensagem “tu”: “Tu nunca chegas a horas, és sempre o mesmo atrasado!”
Mensagem “eu”: “Eu fico preocupada/ aborrecida quando chegas atrasado.”

3. Seja específico
Diga exactamente aquilo que quer. Quando quer que a criança faça alguma coisa, diga de forma clara e específica o comportamento que pretende ver realizado. Concentre-se num tópico de cada vez.

4. Seja breve
Use uma linguagem simples e directa, seja breve, sem rodeios.

5. Verifique se a criança está a ouvir/ compreender
Pode perguntar: “o que é que achas?”, “concordas?”. Fazer perguntas envolve quem está a ouvir e permite verificar se compreendeu.

6. Mostre que está a ouvir
Pode mostrar que está a ouvir, que está interessado e atento, mantendo um bom contacto ocular e mostrando que compreende o que a criança lhe diz e sente (ex.: acenando com a cabeça, dizendo “hum-hum”).

7. Faça a criança sentir que você a compreende

Acompanhe o discurso ou as experiências da criança, mostrando interesse e que o que se passa com ela não lhe é indiferente, ou seja, mostre à criança que você está atento. Isso faz com que se sinta com valor e que alguém lhe dá atenção.
Exemplo:
“Percebo, deves ter-te sentido muito triste com isso.”

8. Coloque questões para esclarecer dúvidas
Para se mostrar interessado e perceber exactamente aquilo que a criança quer dizer, é útil fazer questões.

OBSTÁCULOS A UMA COMUNICAÇÃO CLARA E EFECTIVA

1. “Deitar abaixo”
Exemplo:

chamar nomes, insultar, rir-se de forma inapropriada, fazer comentários depreciativos, troçar das ideias ou dos esforços dos outros.

2. Usar frases coercivas
Exemplo: “tens que”, “deves”...

3. Misturar frases positivas e negativas
Exemplo:



“Muito bem, fico contente que tenhas feito hoje tua a cama, já não era sem tempo!”

4. “Ser historiador”
Exemplo:

Estar sempre a lembrar o que correu mal no passado.

5. Falar pelos outros
Exemplo:

“nós estamos muito zangados contigo”.

6. Ter sinais verbais e não verbais inconsistentes
Ou seja, dizer uma coisa mas demonstrar outra através do não verbal (corpo ou expressão facial, tom de voz..)
Exemplo: “está muito bem o teu desenho”, ao mesmo tempo que desvia o olhar e faz uma cara de reprovação
.

7. Culpabilizar
Exemplo: “És sempre o mesmo trapalhão!”.

8. Usar “palavras-rastilho”
Ou seja, que fazem aumentar a tensão e provocam conflito. Muitas vezes fazem explodir reacções emocionais e comportamentos desadequados, e dão origem, posteriormente, a reacções do género: “não sei como fiz aquilo.”
Exemplo:



Linguagem extremista - “sempre, nunca, constantemente, para sempre,...”;
Linguagem crítica - “é melhor que, tens de, devias...”
Rotulagem - “mau, burro, idiota, terrível, porco, peste”.


Tente usar uma linguagem mais flexível
Exemplo:


dizer “às vezes” em vez de “sempre”, “agora”, em vez de “nunca”.

Uma linguagem assim tem a vantagem de evitar a escalada do conflito e de não o fazer perder a calma.

É importante nunca esquecer que quando os adultos se descontrolam as crianças seguem o seu exemplo e aprendem que esse comportamento é aceitável.
Elas aprendem a fazer o mesmo.


Próximo postagem: "como lidar com o mau comportamento”
João Figueiredo - psicologo

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Como gerir birras e comportamentos inadequados...

Educar uma criança não é tarefa fácil.
Na maior parte das vezes os pais têm dúvidas:

- Como devo educar?
- Existem formas melhores?
- Farei bem ou mal?
- Devo castigá-lo?

NA VERDADE, NÃO EXISTE UMA RECEITA...
Mas alguns cuidados são importantes para que não se caia em extremos... Nem 8 nem 80!
É importante:
- Tolerar sem esquecer quem são os pais,
- Facilitar sem deixar fazer tudo o que a criança quer,
- Vigiar sem impor.

É IMPORTANTE FAZER COM QUE A CRIANÇA CUMPRA AS REGRAS IMPOSTAS.

Muitas vezes, os pais hesitam em dizer não ou em repreender a criança porque temem que ela fique “traumatizada”, criando uma relação onde ela detém o poder, pois, rapidamente, passa a fazer uso da ideia de que realmente não pode ser contrariada nas suas vontades.
Não é saudável que deixem a criança fazer tudo o quer e não lhe imponham regras, alimentando um sentimento de que tudo lhe é permitido.
Ao procurar dar mais e mais à criança, podem estar a contribuir para a inversão de valores importantes para viver em sociedade, como a partilha e o respeito pelos outros.

DEVEMOS SABER QUE...

Impor regras e limites aos comportamentos não quer dizer que não se gosta da criança! Quer dizer exactamente o contrário: significa ensinar à criança como se deve viver saudavelmente com os outros.
Impor regras é ajudar a criança a crescer! Elas devem saber o que podem e não fazer em sociedade.

1. Porque é que o meu filho tem determinados comportamentos?

À medida que vai crescendo, a criança vai aprendendo a forma com as pessoas que estão à sua volta reagem ao seu comportamento.

Uma criança que se recusa sistematicamente a comer sozinha e cujos pais acabam por (após muita insistência e sem resultado) lhe dar de comer à boca, aprende que não precisa de comer sozinha, uma vez que os pais acabam sempre por ceder.

A reacção do adulto é, portanto, um elemento fundamental da relação, porque ensina a criança a controlar-se e como se deve comportar de forma adequada.

É importante perceber que a criança levou meses ou mesmo anos a desenvolver os seus comportamentos e, portanto, não é de um momento para o outro que os vai alterar. É preciso paciência!

2. O papel dos pais...

Os pais são competentes para resolver os problemas da família à medida que estes vão surgindo, sobretudo se usarem carinho, compreensão, tolerância e definirem regras e fronteiras claras.

3. Porque é que os comportamentos não adequados e a desobediência persistem?

- estão a ser reforçados inadequadamente
- não têm consequências e a criança obtém o que deseja com esse comportamento

4. Porque é que o comportamento acontece?

Um comportamento depende
- Daquilo que acontece antes (estímulo)
- Daquilo que acontece depois (consequência)

5. Que comportamentos a criança tem?

As crianças...
- repetem comportamentos que têm consequências agradáveis e
- não realizam comportamentos que têm consequências desagradáveis.

Por exemplo, a Marta agride a irmã para se sentar à frente no carro. Se os pais o permitirem (não derem nenhuma consequência desagradável) ela vai sentir-se reforçada e tenderá a repetir este comportamento. No entanto, se lhe for apresentada uma consequência (exemplo: ter que ir o caminho de ida e volta no banco de trás) este comportamento tenderá a desaparecer.

ALGUMAS ATITUDES QUE PROMOVEM OS PROBLEMAS DE COMPORTAMENTO:

1. A desautorização entre os pais: é natural que os pais nem sempre estejam de acordo. No entanto, não devem nunca desautorizarem-se em frente da criança pois faz com que ela sinta que não há regras claras e autoridade, criando ela as suas próprias regras.

2. Usar sermões: são inúteis porque mais tarde a criança volta a fazer a mesma coisa. As crianças compreendem melhor se tiverem consequências directas aos seus comportamentos do que as palavras. É preciso agir e não dar sermões.

3. Fazer ameaças e não cumprir: as ameaças causam medo nas crianças e, mais tarde ou mais cedo, elas vão perceber que os pais estão a mentir.

4. Ser inconsistente: dizer uma coisa e fazer outra... As regras devem ser sempre as mesmas e levadas até ao fim! Por exemplo, é um erro dizer “tens que comer sozinho, não te vou dar a comida à boca mais uma vez” e, face à insistência da criança, acabar por ceder, dando-lhe a comida na boca.

5. Gritar: a única vantagem é aliviar a tensão dos pais. Mas as desvantagens são maiores: mostra descontrolo e ensina a fazer o mesmo. Mostra à criança que vence quem fala mais alto.

6. Ceder às birras: quando os pais decidem dizer não, deve ser não até ao fim, independentemente do comportamento da criança. Caso contrário a criança vai aprender que com a birra consegue o que quer. Por exemplo, se a criança insiste que quer um chocolate no café e os pais dizem que não, não devem mudar de opinião com a sua birra, choro ou teimosia, senão a criança vai aprender que sempre que fizer birra vai te o que quer. Não é não!

7. Criticar a criança e não o comportamento: “És sempre o mesmo, nunca vais mudar!”. A criança vai aprender que é mesmo assim e não há nada a fazer.

8. Bater: não funciona porque a criança só obedece naquele momento. Passado pouco tempo volta a fazer o mesmo.


ENTÃO O QUE DEVEMOS FAZER?

Estabelecer regras claras e únicas, bem como as consequências de não as cumprir.
A criança deve saber o que pode esperar do seu comportamento.

 Moldar os comportamentos com as suas recompensas

- Reforçar os comportamentos adequados:
Quando a criança faz o comportamento desejado, deve-se recompensá-la (por exemplo, uma ida ao parque, uma sobremesa ao seu gosto, uma história ao deitar, ou simplesmente, e mais importante, um elogio: “muito bem, hoje comeste a sopa sozinha, fico muito contente contigo!”

- Ignorar ou não reforçar comportamentos desadequados:
Por exemplo, quando a criança faz uma birra, ignorar até ela acabar. Se os pais reconfortarem a criança fazendo aquilo que ela quer, reforçam este comportamento, ou seja, vão fazer com que a criança repita a birra.

Continua...
João Figueiredo
Psicólogo

domingo, 4 de dezembro de 2011

Contacto precose pele a pele...

Desde há algum tempo que se tem vindo a questionar as práticas hospitalares existentes nas maternidades que retiram a possibilidade à mãe de estabelecer um contacto íntimo pele-a-pele com o seu bebé acabado de nascer. E, neste âmbito, têm sido efectuados estudos comparativos entre bebés e mães que estabeleceram contacto pele-a-pele precoce (na primeira hora de vida) e bebés e mães que não estabeleceram este tipo de contacto.

Concluiu-se que no grupo de bebés e mães que estabeleceram contacto pele-a-pele precoce:

1 - Existem “1 hora de ouro” após o nascimento que resulta num benefício máximo para quem deseja amamentar:


.....a) O recém-nascido apresenta uma reacção estrondosa ao cheiro materno, aproximando-se espontaneamente da mama;
.....b) Ocorre uma sucção eficaz e espontânea por parte do recém-nascido após o nascimento durante cerca de 1 hora, o que está associada ao prolongamento e manutenção da amamentação, ou seja, o contacto pele-a-pele durante mais de 50 minutos após o nascimento aumenta cerca de 8 vezes a amamentação espontânea;

.....c) Contribui para a ocorrência de menor ingurgitamento mamário.

2 - No que respeita à mãe, o toque, o cheiro e a temperatura são estímulos vagais que conduzem à libertação de ocitocina, a qual aumenta por sua vez, as respostas sociais, diminui a ansiedade materna e aumenta a temperatura em redor das mamas.
Além disso, as mães revelam mais comportamentos de apego, tais como: gestos mais carinhosos durante a amamentação, beijam mais os bebés, utilizam a posição face-a-face, seguram e tocam mais os seus bebés.

3 - Relati
vamente aos recém-nascidos verifica-se que quando colocados em contacto pele-a-pele, apresentavam temperaturas mais estáveis (perderam menos calor após o nascimento), a glicemia (nível de açúcar no sangue) manteve-se mais elevada e a frequência respiratória mais baixa, o que demonstra conservação de energia. Além disso, choravam menos vezes que os bebés que foram privados deste tipo de contacto.

Em suma, o contacto precoce pele-a-pele durante a “1ª hora de ouro” imediata após o nascimento fortificam a vinculação (apego entre mãe-bebé) e aumentam o sucesso do aleitamento materno.

O "Milagre de Vida" tem vindo a apostar quer na amamentação, quer na vinculação segura entre mãe-pai-bebé, dando especial destaque a estes temas no decurso das sessões do curso de preparação para o parto. Porque as evidências são inegáveis, contribuindo para famílias mais saudáveis e harmoniosas!




______________________________Vânia Coimbra

Bibliografia: LOWDERMILK, Deitra; PERRY, Shannon - Enfermagem na Maternidade, 7ªed, Loures: Lusodidacta, 2008


sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Workshop Descoberta da Brincadeira

As brincadeiras aparentemente simples são fontes de estímulo ao desenvolvimento cognitivo, social e afetivo da criança e também é uma forma de auto-expressão.

Inscrições limitadas e gratuitas

Workshop - Descoberta da Brincadeira[1]

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Ultimas inscrições

PODES INSCREVER-TE AINDA ESTE FIM DE SEMANA PARA amvjornadas@gmail.com

Programa Definitivo I I Jornadas Do Planear Ao Cuidar2011

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Projeto Farmácia Amiga do Aleitamento Materno 2011

"A investigadora Adriana Pereira sempre pensou e partilhou várias vezes, com os seus pares, que se os farmacêuticos tivessem formação na área do aleitamento materno, de acordo com as orientações da OMS/UNICEF, e respeitassem os princípios do Código Internacional de Comercialização dos Substitutos do Leite Materno (CICSLM), nós veríamos, com toda a certeza, as taxas do aleitamento materno a aumentar."
(...)
CONHEEÇA O PROJETO INICIATIVA FARMÁCIA AMIGA DO ALEITAMENTO MATERNO FAAM -2011 CLICANDO AQUI

Poster - Farmacia Amiga do Aleitamento Materno




VEJA AQUI O PANFLETO

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

PROGRAMA DEFINITIVO II Jornadas AMV "DO PLANEAR AO CUIDAR"

AINDA TE PODES INSCREVER CONSULTA O PROGRAMA E DECIDE.

Programa Definitivo I I Jornadas Do Planear Ao Cuidar2011

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Programa da Semana de Aleitamento

Na próxima semana de 3 a 7 de Outubro celebra-se a Semana Mundial do Aleitamento Materno SMAM.




A Associação em parceria com o CHEDV-HSS e o ACES Entre Douro e VougaI Feira/Arouca
Desenvolveram o programa abaixo apresentado, leia com carinho e participe, divulgue, pois “o aleitamento materno interessa a todos”








Visite a sala de exposições na Rua Vitorino de Sá em Santa Maria da Feira, onde encontra material alusivo ao aleitamento materno e muitas actividades, aberta todos os dias
ESPERAMOS POR SI!
Veja o programa da sua Unidade de Saude e PARTICIPE - DIVULGUE
CLIQUE





Clique

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Preparo-me para amamentar


A gravidez é um tempo especial na vida da mulher.

Se nunca amamentou - e mesmo que já o tenha feito - é natural que tenha algumas dúvidas.

Está demonstrado que a maioria das mulheres pode produzir leite suficiente para os seus filhos.
As causas dos problemas que algumas mulheres têm com a amamentação, e que as levam a desistir de amamentar, são a falta de informação, a falta de apoio, de experiência e de conhecimentos técnicos.

Por tudo isso, os meses de gravidez são a época ideal para ler e aprender o mais que puder sobre amamentação.

O que deve saber antes do parto:

O seu leite é o melhor alimento para o seu filho.

O tamanho e formato da mama não importam
– tanto as mamas pequenas como as grandes produzem leite adequado e em quantidade suficiente.

O melhor momento para começar a dar o peito é durante a primeira hora depois do parto. Os bebés, quando nascem, estão muito despertos e a sua necessidade de sucção é muito intensa.
Se nesse momento o bebé for colocado ao peito ele aprenderá a mamar correctamente.


Se nesse momento o bebé for colocado ao peito ele aprenderá a mamar correctamente.
Passadas duas horas depois de ter nascido, o bebé entra num estado de letargia que pode durar até doze horas.

Nessa altura é mais difícil para o bebé aprender a mamar correctamente, ao passo que os bebés que já aprenderam a fazê-lo, reproduzem com facilidade a técnica e normalmente são capazes de alimentar-se sem problemas.

Se não existe nenhuma patologia, todas as mulheres podem iniciar o aleitamento materno imediatamente após o parto, quer tenha sido parto por via vaginal, quer tenha sido cesariana.

Não dê chupeta nem biberão ao bebé no primeiro mês de vida (nem mesmo as chupetas ditas “fisiológicas”).
Os bebés precisam de tempo e de prática para aprender a mamar com eficácia; quantas mais oportunidades tenham para mamar, mais cedo apr
enderão.

O uso de chupeta e tetina durante o primeiro mês de vida pode confundir a sucção dos bebés, porque o movimento da língua, das bochechas e do maxilar é diferente.
Está demonstrado que o uso de chupeta prejudica a amamentação
As crianças amamentadas não necessitam de chupeta nem de biberão.
Além disso, o uso de chupeta e biberão provoca problemas dentários a médio prazo.

Os recém-nascidos perdem algum peso nos primeiros dias de vida (cerca de 10% do peso com que nasceram). Isto é normal e não quer dizer que o seu leite seja fraco.

Nos primeiros 2 a 7 dias após o parto as mamas produzem colostro. O colostro é amarelo e mais espesso do que
o leite maduro e é produzido em pequenas quantidades. Contém mais anticorpos e mais glóbulos brancos do que o leite maduro e assim protege o bebé contra a maior parte das bactérias e vírus. O colostro é laxante e ajuda o recém-nascido a eliminar o mecónio (as primeiras fezes muito escuras do bebé). Isto ajuda a evitar a icterícia. O colostro é exactamente o que o bebé precisa nos primeiros dias!

Todas as mães ficam mais emotivas e sensíveis durante
algumas semanas depois do parto. Nesta fase é normal sentir algumas dificuldades na amamentação. Seja persistente e não desista. Essas dificuldades desaparecem com o tempo, à medida que vai ganhando prática a amamentar.

As primeiras semanas após o parto são muito importantes para a amamentação. Procure alguém que a ajude nas tarefas domésticas, durante essas semanas, para que você se possa dedicar inteiramente ao seu bebé. "Vai descobrir novas alegrias e amores"


IN:Tudo
aqui


segunda-feira, 8 de agosto de 2011

II Jornadas AMV "DO PLANEAR AO CUIDAR"

O ACES Entre Douro e VougaI Feira/Arouca em Parceria com a Associação Milagre de Vida e a Camâra Municipal da Feira, vão realizar:

II Jornadas da Associação Milagre de Vida " DO PLANEAR AO CUIDAR", nos dias 27 e 28 de Outubro, na Biblioteca Municipal de Sta Maria da Feira.

Objectivos: Promover a reflexão e a discussão sobre a qualidade e inovação dos cuidados de saude prestados nas area em discussão ( Planeamento da gravidez; vigilancia da gravidez; parto e pós parto; aleitamento materno...)

Destina-se a todos os interessados nestas àreas; profissionais de saúde; médicos; enfermeiros; terapeutas...

O programa aqui
Regulamento Posters e comunicações aqui

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Noticias do DMAM

"Rio de Janeiro, 1º de agosto – O UNICEF e o Ministério da Saúde lançaram hoje o Guia dos Direitos da Gestante e do Bebê, desenvolvido em parceria pelas duas organizações para fortalecer a capacidade de mães, gestantes e famílias de exigir seus direitos." Aqui

Na Europa a SMAM comemora-se na 1ª Semana de Outubro, já estamos a planear as actividades para essa semana em parceria como outras Instituições.

Hoje como noticiamos estamos aqui na Feira Medieval a comemorando este Dia, venha até cá!

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Comemoração do Dia Mundial do Aleitamento Materno

Dia Mundial to Materno2011 (2)

terça-feira, 26 de julho de 2011

Viagem Medieval, no Recanto dos Infantes

"A USF Terras de Santa Maria vai estar presente em conjunto com a Associação Milagre de vida na próxima Viagem Medieval, no Recanto dos Infantes, com conselheiras da Amamentação para partilhar saberes e experiências". “ Promover o Aleitamento Materno na recriação da Idade Média”

"A importancia da amamentação vai para além da mera troca de elementos nutricionais entre a mãe e o seu filho.

O acto de amamentar é também uma relação humana herdada culturalmente, influenciada pela familia e submetida ao meio social, inserindo uma complexidade própria que transcende o aspecto nutricional e ultrapassa a díada Mãe-filho.

A próxima edição da Viagem Medieval em Santa Maria da Feira recria o reinado de D. Afonso Henriques, o nosso primeiro rei, que viveu em plena Idade Média. As mulheres deste período tiveram a vantagem de viverem uma cultura particularmente encorajadora da amamentação e com “nutrizes” (amas-de-leite) experientes que prestavam ajuda à nova mãe. Desta época resssalta-se o distanciamento que existia entre a mãe biológica e a criança e a forte ligação desta às amas-de leite pelos fortes vínculos emocionais que o processo estabelecia"

"Amamentar um acto de amor" encontra todo o artigo aqui ou no Jornal Terras da Feira

A Boneca Lili

Era uma vez uma boneca muito bonita!
O seu nome era LIli.
Tinha olhos cor do mel, muito meigos e brilhantes! Eram muito lindos!

Os cabelos pretos e compridos que a Lili gostava muito de enfeitar com fitas e flores.
Tinha uma boquita muito vermelha, parecia um coração e estava sempre a sorrir!

A Lili era muito vaidosa. Gostava de vestir uma saia rodada com três folhos, um de cor amarelo, outro de cor laranja, e o outro de cor verde.
A camisola era verde com muitas flores coloridas.

A Lili adorava contar aos meninos e meninas, coisas da sua vida de boneca. Quase sempre começava assim:

Olá eu sou a Lili!
Sou uma boneca muito crescida e forte, sabem porquê?
Porque quando era bebé mamei leitinho das maminhas da minha mãe! O leite da mamã é o melhor alimento que uma criança pode receber nos primeiros 6 meses de vida. Por isso estou muito forte, saudável e crescida!

Cresci tanta que quando os meus pais pensavam que eu ainda nem me mexia nada, eu já rebolava…

Pouco depois já me sentava, gatinhava… gatinhava que me fartava!

E, logo, logo, os meus pais andavam por ali sempre a dizer “só, só Lili, só, só Lili.
Então eu dei-lhes uma grande alegria, até bateram palminhas! A sério!!!
Sabem porquê? Porque me pôs de pé!

Depois cai, levei muitos beijinhos, e voltei a pôr-me de pé. Depois dei uns passinhos e ganhei mais palminhas!

Rapidamente comecei a andar sozinha, toda contente!

Os meus pais estavam sempre preocupados porque eu punha-me de pé, apoiando-me em qualquer objecto que estivesse na minha frente!
Eles assustavam-se e muitas vezes ralharam comigo, porque era preciso ter cuidado! Era, era!
Sabem porquê?
Porque passado algum tempo, já subia as cadeiras, os sofás, as escadas… Mas eles não me deixavam sozinha…

Mas eu, comecei a explorar a casa e ainda gosto muito de explorar os armários da cozinha, do quarto, todos os que posso, porque é muito divertido….

Os meus pais é que não gostam nada, preocupam-se muito com a minha segurança, então colocaram-se de gatas e andaram por toda a casa a descobrir os perigos que existiam.

Depois tap
aram os buraquinhos todos, puseram coisas nas portas, nas janelas, nas escadas em tudo aquilo que parecia divertido...
Eles dizem:
- Agora a casa está mais segura, livre de perigos.

Todos na minha casa se preocupam com a segurança, dizem que se não forem tomadas as devidas precauções, a aventura de crescer pode ter consequências não desejadas e mesmo muito graves.

...continua


quarta-feira, 15 de junho de 2011

SEMANA MUNDIAL de ALEITAMENTO MATERNO 2011

Como sabem amigas em Portugal celebramos e a Semana Mundial do Aleitamento na 1º semana de Outubro e no ano passado já utilizamos muitos das formas agora recomendadas para a sua maior divulgação e implementação, como pode ver aqui

Copiamos a noticia do "aleitamento.com"pois merece-nos toda a credibilidade, se quiser ler no original clique aqui

E NÓS?

Que resultados obtivemos?
O que ficou na comunidade?
Por onde começamos?
Uma coisa é certa não podemos parar...
ESPERAMOS IDEIAS!!!

"SEMANA MUNDIAL de ALEITAMENTO - Por que o tema 3D? Logo em português

Desafio comunicacional!

AMAMENTAÇÃO – uma experiência 3D
Mexa-se e celebre!

A WABA (World Alliance for Breastfeeding Action) lançou um calendário comemorativo da Semana Mundial de Aleitamento Materno 2011, contendo informações valiosas sobre como desenvolver esse tema tão complexo e atual, sugerido para este ano. Abaixo, vocês encontram o texto traduzido para o português.

Por que 3D?
Quando falamos em apoio à amamentação, a tendência é pensar em 2 dimensões: tempo (da gravidez ao desmame) e lugar (a casa, comunidade, sistema de saúde, etc.). Mas nenhum desses tem muito impacto sem a TERCEIRA dimensão – comunicação!
A comunicação é parte essencial na proteção, promoção e apoio à amamentação.

O que podemos fazer para ter uma experiência 3D – Mexa-se e celebre!

1) Conecte-se com outros ativistas da amamentação por email ou blog, Facebook ou Twitter, e comece a planejar!
2) Entre em contato com comunicadores locais: professores, jornalistas, publicitários, estudantes, líderes comunitários – para ajudá-los a construir e compartilhar mensagens vitais e aumentar a conscientização.
3) Entre em contato com unidades de saúde locais e ajude-os a implementar estratégias de alcance para mulheres grávidas e lactantes ou cursos de treinamento para consultores em aleitamento e aconselhamento em amamentação.
4) Escreva para seu empregador e órgãos governamentais locais ou nacionais e peça patrocínio para um evento da SMAM e, caso necessário, alerte-os sobre a necessidade de prevenir conflitos de interesses evitando apoio ou qualquer forma de colaboração de indústrias ou representantes de produtos abrangidos pelo âmbito da legislação. (No caso brasileiro, da NBCAL).
5) Seja o anfitrião de um evento onde as pessoas podem compartilhar suas histórias com criatividade – uma exposição de arte em conjunto, um monólogo, uma competição de vídeos online, festival de filmes, feira alternativa de artesanato, fórum de discussão virtual, o céu é o limite!
6) Incentive o ensino da amamentação em escolas e universidades e a integração com organizações que já trabalhem com causas sociais para realçar a amamentação através de pontos de vista variados.
7) Fale com as pessoas à sua volta!

Que resultados queremos alcançar este ano?
- Estimular comunidades e unidades de saúde a usar novas tecnologias para atingir o maior número de pessoas com informações sobre amamentação e alertá-los sobre os conflitos de interesse que surgem, quando entidades que obtêm lucro a partir da venda ou distribuição de produtos abrangidos pelo Código Internacional de Publicidade de substitutos do leite materno (no Brasil, NBCAL) promovem a amamentação.
- Aumentar o alcance do ativismo em prol da amamentação, envolvendo grupos que geralmente demonstram menor interesse (p. ex.: jovens, homens, ativistas de planejamento familiar).
- Desenvolver e melhorar a orientação de técnicas de comunicação em amamentação e treinamento de saúde e buscar participação ativa dos jovens.
- Através das redes, criar e ampliar canais de comunicação entre diferentes setores, para que a informação e feedback em amamentação possam ser acessados e intensificados.
- Encorajar especialistas em amamentação e comunicadores experientes a tornarem-se mentores de novos ativistas e recém chegados à nova era da comunicação, independente da faixa etária.
- Explorar, apoiar, reconhecer e implementar comunicações inovadoras com criatividade aproxima e proporciona um espaço para que as pessoas desenvolvam suas idéias.

Você está falando comigo?
Conexão, sinergia, colaboração, parceria: COMUNICAÇÃO. Estas palavras capturam a energia e o poder do desenvolvimento humano. Há vinte anos, no Centro Innocenti, um grupo de profissionais de saúde e líderes globais uniram forças para uma causa que vale a pena – o apoio, promoção e proteção da amamentação por todo o mundo. A Semana mundial da amamentação foi criada para comemorar a Declaração de Innocenti e, desde então, tornou-se um evento anual celebrado por milhares de pessoas em todo o mundo.
Atualmente, a internet nos traz a possibilidade de encontrar facilmente informação sobre qualquer coisa. Usamos as redes sociais para encontrar rapidamente amigos e familiares que moram longe. Em relação à amamentação, existe muita informação disponível através destes canais. Não há dúvida de que a amamentação fornece uma bagagem de saúde nutricional e preventiva para bebês e crianças, e é uma das práticas mais sustentáveis da terra. A amamentação também é importante para as mulheres – ajudando-as a perder peso após o parto, protegendo-as contra o câncer de mama e outras doenças, e adiando o retorno da menstruação e ovulação. No entanto, em muitos lugares do mundo ainda travamos uma batalha contra os baixos índices de amamentação exclusiva e continuada. Por que existe uma lacuna entre o que sabemos e o que está efetivamente acontecendo, e o que podemos fazer a respeito? Assim como os componentes do leite materno, que formam um complexo vital de nutrientes e células vivas, a interação renovada e animada entre as pessoas é vital para cultivar e apoiar as mães que amamentam! Estas interações fazem com que a mãe saiba que não está sozinha! Enquanto governos locais e nacionais respondem ao crescimento das disparidades no sistema de saúde e recessão econômica em suas comunidades, a amamentação se estabelece consistentemente como uma iniciativa sustentável, democrática e uma resposta de baixo custo a estas pressões. Campanhas tais como a SMAM, Healthy People 2020 nos EUA, One Million Campaign e outras políticas de saúde em muitos países, esclarecem às mães que é possível amamentar.
Com tantas formas de comunicação acessíveis pela ponta dos dedos, agora é o momento perfeito para compartilhar e empoderar. O desafio é encontrar mensagens criativas com as quais possamos nos identificar, envolvendo também espectadores não-tradicionais. Um público importante é a geração jovem. Jovens tem uma variedade de idéias, energia e entusiasmo e desempenham um importante papel na formação do futuro de suas comunidades. Uma mãe precisa sentir-se apoiada, mas este apoio precisa vir de fontes e setores múltiplos, com mensagens corretas e consistentes de todos os seus contatos.
O tema da SMAM 2011 nos lembra que amamentar é uma experiência 3D – uma oportunidade de ter um maior alcance, um investimento em um futuro saudável e, finalmente, uma lente ímpar através da qual vemos o mundo. Lembremos – para obter sucesso nesta campanha precisamos comunicar. Nós somos o mundo, e nós queremos saber porque amamentar é importante. Este ano estamos pedindo a cada um de vocês que amplie seus horizontes, através de todo e qualquer meio de comunicação ao qual tenha acesso, e compartilhe as mensagens necessárias para empoderar toda mulher e toda comunidade, para que tenham sucesso no ideal de amamentação.

Tradução livre de Bianca Balassiano Najm
Retirado de World Breastfeeding Week Calendar 2011

Autor: Marcus Bianca Balassiano Najm + Renato de Carvalho

segunda-feira, 6 de junho de 2011

O nosso jeito de agradecer

A Associação foi acolhida no Infantário do Centro Social de Arrifana de Sta Maria da Feira onde comemorou o Dia da Mundial da Família no dia 15 de Maio de 2011 com as famílias que quizeram estar connosco.

O nosso muito obrigado a todo o pessoal do Infantário do Centro Social e em especial ao Sr. Henrique Resende - Director de Serviços; à Dr.ª Catarina - Directora Técnica Pedagógica, às Educadoras Dr.ªs Teresa Cruz e Paula Silva e à dedicada D. Luísa, pela colaboração imprescindível que nos deram

O programa incluía actividades tais como:

- Musica para bebés; como gerir rotinas e lidar com as birras; hora do conto, com a boneca Lili; massagem ao bebé; jogos; palhaçadas e pinturas faciais e muitas surpresas.

Muito nos honrou a presença da Professora Sofia Leandro, que apesar de ter um concerto nesse dia aceitou o convite da nossa grande amiga Sílvia Dias para participar, agradecemos profundamente as duas, a sua generosidade, disponibilidade e a alegria contagiante que trouxeram a este evento.

Não podemos esquecer o apoio da enfermeira Valéria que foi uma ajuda preciosa.

O nosso agradecimento à Dr.ª Bruna Granja que aceitou o convite para vir dinamizar o Workshop “Gerir rotinas e lidar com birras”, que foi muito apreciado pelos pais que participaram, deixando aqueles que não puderam participar porque estavam noutra actividade, muito tristes por não terem assistido.
Prometemos em breve realizar novo workshop.

Claro que não podemos esquecer o Trolaró, a Purpurina e a Pintas...

À equipa da Associação que tornou possível este evento, bem hajam!



Brincar também é saúde - Comemorações do dia da criança


Foi uma manhã de alegria onde a saúde esteve de mãos dados com a brincadeira!
As Unidades de Saúde que organizaram (Familias e Terras de Sta Maria)e as outras Unidades de Saude (Fiães; Cuidar; Sem Fronteiras) e outras Instituições (Câmara Municipal; Escola de Hotelaria; Termas de S. Jorge e nós claro!)brincando procurou-se promover habitos de vida saudáveis.
Clique aqui e veja mais fotos

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Criançada no próximo sábado há festa!



No próximo sábado 4 de Junho das 9h às 13h, a Associação vais participar desta festa para a criançada. Vamos comemorar o dia MUNDIAL DA CRIANÇA!


Atenção pessoal mais pequeno porque vai connosco o Palhaço Trolaró e a Boneca Purpurina, com muitas surpresas e bricadeiras.

Não faltes! Esperamos por ti!

terça-feira, 17 de maio de 2011

NOTICIAS BREVES

As comemorações do dia da família foram muito animadas e divertidas prometemos uma grande reportagem em breve hoje só algumas fotos...








segunda-feira, 4 de abril de 2011

Chá das Mães

Ser mãe é um grande desafio... Ser mãe é estar em constante adaptação... Ser mãe é ser feliz!

Se é mãe ou irá ser em breve e quer partilhar dúvidas, dificuldades e experiências com outras mães, então participe...

CHÁ DAS MÃES


Quando? Dia 16 de Abril pelas 15h


Onde? Bairro do Balteiro- Rua Ribeira Cáster nº10 R/c Esq.

Santa Maria da Feira


P.S. Qualquer dúvida ligue 925 657 324