quarta-feira, 14 de abril de 2010

O papel do pai durante o trabalho de parto

1.O apoio do pai durante o trabalho de parto constitui um elemento essencial para que a parturiente tenha uma experiência positiva do parto e pós-parto.

Se pretende participar activamente no nascimento do seu filho acredite que o nascimento dele depende tanto da mulher como de si próprio…
Comece por participar activamente na gravidez. Procure informar-se sobre a gravidez, o parto, o período pós-parto, os cuidados ao bebé …

Acompanhe a sua companheira às consultas e às ecografias…

Coloque questões e dúvidas à equipa que está a vigiar a gravidez…

Frequente o Curso de Preparação para o Parto…

Visite o Núcleo de Partos onde o seu bebé vai nascer.

Ao aprender mais sobre o processo de nascimento, acaba por descobrir de que forma é que pode oferecer apoio durante o nascimento do seu filho.


2. Prepare-se para ser o suporte principal. Mentalize-se que é um elemento da equipa que está a acompanhar a sua companheira neste momento tão intenso das vossas vidas.


Colabore com os outros membros da equipa de saúde.


Esteja ao lado da sua companheira com todo o seu amor e carinho. Ajude-a a respirar adequadamente durante as contracções e a mudar de posição de forma a ficar mais confortável (ver artigo sobre "Como aliviar a dor de parto" em: http://csfeiracentrodesaude.blogspot.com/2010/03/como-aliviar-dor-de-parto.html ), faça-lhe uma massagem, toque-lhe suavemente no rosto, transmita-lhe o seu calor. Mantenha-se alegre e optimista!

3.O estar presente faz a diferença.
O “parceiro de nascimento” é geralmente o membro da equipa que conhece melhor os desejos da parturiente, tendo capacidade para melhor interpretar os seus gestos, as suas reacções e suas sugestões conseguindo expressá-las aos profissionais de saúde de forma mais adequada. A história pessoal com a sua companheira é algo que a equipa do núcleo de partos não tem, não conhece.


4.Para cuidar da parturiente, cuide também de si.
Use roupas confortáveis e leves e faça pequenas pausas para ir ao wc, para caminhar e se alimentar para ter a energia necessária para este momento tão especial.


5.Vá fazendo perguntas à equipa sobre o desenrolar do trabalho de parto.


6.Esteja preparado para experimentar algumas emoções fortes.
Muitas vezes o pai fica tão absorvido com a proximidade do nascimento do bebé que acaba por se esquecer de apoiar a mulher quando ela mais precisa, durante o período expulsivo.
Não se esqueça que tem uma mulher incrível ao seu lado e que neste momento está pronta para “dar à luz” o seu filho.
Admire-a, transmita-lhe as emoções e os sentimentos que está a viver, encoraje-a de forma positiva, incentive-a a puxar e a respirar adequadamente no intervalo das contracções.


7. Finalmente quando o bebé nascer, acolha-o com carinho.
Fale com ele (ele conhece a sua voz), embale-o de forma a proporcionar-lhe uma sensação de calma, ajudando-o na sua transição para o mundo exterior.
Acariciá-lo também irá reduzir as hormonas do stress e melhorar a sua respiração e regulação da temperatura.

Ajude a colocar o bebé à mama. A primeira hora após o parto constitui o momento ideal para colocar o bebé à mama, uma vez que se encontra desperto, com reflexo de sucção e deglutição "apurado" e desejoso do contacto precoce com a sua mãe (o calor da sua pele, o seu odor, o seu toque…).
Torne estes momentos iniciais da vida do seu filho momentos únicos e inesquecíveis!


8.Durante o período pós-parto o casal experiencia uma mistura de momentos alegres e difíceis. A imprevisibilidade de cada dia constitui um verdadeiro desafio à vida familiar.
O acréscimo de tarefas e responsabilidades, o próprio conhecimento do bebé que exige tempo e disponibilidade associado ao cansaço das noites mal dormidas acaba por abalar o sistema e a organização familiar que terá que sofrer alguns reajustamentos.

No entanto, participe desde o início de vida do seu bebé mudando-lhe a fralda, dando-lhe o banho, efectuando a massagem, apoiando na amamentação, embalando-o…
...
Estabeleça o contacto pele-a-pele (coloque o seu bebé despido sobre o seu peito para que ele tenha o prazer de sentir o seu calor, o seu cheiro, o seu batimento cardíaco).

Seja compreensivo com a sua companheira que viveu momentos muito desgastantes e que está a passar por alterações hormonais que a podem destabilizar um pouco a nível psicológico.

Verá que com o decorrer do tempo, a vida familiar reorganizar-se-á e desfrutará com maior tranquilidade o milagre do nascimento.
....
_____________________________________ Vânia Coimbra, Enfermeira especialista Saúde Materna e Obstetrícia
...
Bibliografia