quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

PAZ E AMOR PARA 2011

imagem cópia net


De repente, num instante fugaz,
os fogos de artifício anunciam
que o ano novo está presente e o ano velho ficou para trás.

De repente,
num instante fugaz,
as taças de champagne se cruzam
e o vinho francês borbulhante
anuncia que o ano velho se foi e ano novo chegou.

De repente, os olhos se cruzam, as mãos se entrelaçam e os seres humanos, num abraço caloroso, num so pensamento, exprimem um só desejo e uma só aspiração:

PAZ E AMOR.

De repente, não importa a nação, não importa a língua, não importa a cor, não importa a origem, porque todos são humanos e descendentes de um só Pai, os homens lembram-se apenas de um só verbo:

AMAR.
De repente, sem mágoa, sem rancor, sem ódio, os homens cantam uma só canção, um só hino, o hino da liberdade.

De repente, os homens esquecem o passado, lembram-se do futuro venturoso, de como é bom viver. . Feliz Ano Novo !!!
fonte: aqui


terça-feira, 28 de dezembro de 2010

A Maria nasceu!

Os pais da Maria ofereceram-nos este lindo presente, que aqui deixamos com muito carinho., e votos de muitas felicidades, para esta maravilhosa família!

"Olá!!!

Quero partilhar com todos vocês a experiência do meu nascimento.

No d
ia 22 de Outubro, a minha mamã começou a ter contracções no final do dia. Fomos ao hospital, mas como ainda tinha pouca dilatação, mandaram-na para casa. E ainda bem!!! Nas aulas de preparação para o parto, as senhoras enfermeiras tinham aconselhado a ficar em casa o máximo de tempo possível… pois, seria mais confortável para a minha mamã… E assim fizemos.

Nessa noite, a minha mamã dormiu muito pouco: as contracções estavam de 10 em 10 minutos, até que na manhã do dia 23 passaram para 5 em 5 minutos. Fomos novamente para o hospital, onde demos entrada ás 10horas. Já lá ficámos porque a mamã estava com dilatação de 4cm.

Apesar dela querer um parto sem a epidural, isso não foi possível: a dilatação era muito pouca, e as dores e o desconforto já eram consideráveis.

O periodo expulsivo iniciou ás 14h e ás 14h07m já eu estava cá fora!!!

Lembro-me de que quando me colocaram sobre a barriga da minha mamã, ela olhava fixamente para mim, como a observar a minha reacção. Mais tarde, ela disse-me que apenas estava a observar os meus olhinhos enormes, que não deixavam de a observar a ela… nasci com 2750gr e com 47cm de cumprimento, e deram-me o nome de Maria!

Tudo correu bem!!! Temos imenso a agradecer ás senhoras enfermeiras da Associação Milagre de Vida, que ajudaram os meus papás a perceber melhor quer as questões relacionadas com o parto, quer outras situações relacionadas comigo. Se não fossem os conhecimentos que obtiveram nestas aulas, não estariam tão bem preparados para o momento tão importante que foi o meu nascimento.

Beijinhos a todas!!!

Esta foi a história contada pela Maria, que não podia ser mais verdade.

Eu (Sara), e o pai da Maria (Sérgio), agradecemos imenso toda a atenção que nos foi dada durante as aulas de preparação para o parto. De facto, são horas em que abdicámos de outras coisas, mas que efectivamente valem bem a pena. Aprendemos a estar mais bem preparados para a chegada da nossa princesa, apesar de todos os dias serem uma surpresa total.

O nosso muito obrigada, e beijinhos para todas.
Sara e Sérgio


A Associação agradece este lindo testemunho dado pela Maria! Aos pais o nosso muito obrigada!

Felicidades!

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Novo curso de preparação para o parto

Estamos abertas inscrições para um novo curso de preparação para o parto pelo método psicoprofilático.
Se está grávida entre em contacto connosco pelo telefone nº 915963677 ou pelo email: associamilagredevida@gmail.com

sábado, 13 de novembro de 2010

Recordando o dia mundial da família



__________________________________________________________________________



_______________________________________________________



________________________________________________________



_____________________________________________________________



____________________________________________________________



________________________________________________________________________

terça-feira, 5 de outubro de 2010

ABERTURA OFICIAL DA SEMANA EUROPEIA DO ALEITAMENTO MATERNO



A Abertura Oficial da Semana Europeia do Aleitamento Materno realizou-se no dia 4 de Outubro no Auditório do CHEDV, Unidade de São Sebastião.
A abertura foi honrada com os seguintes convidados:

Dr Fernando Silva Presidente do Conselho de Administração do CHEDV;

Dr.ª Constantina Silva, representante da ARS Norte;

Enfermeira Fátima Pereira, Presidente da Associação Milagre de Vida e Preparação para o Parto;

A Vereadora Dr.ª Teresa Vieira, em representação do Sr Presidente da Câmara Municipal de Santa Maria Feira;

Dr. Dias Costa, Presidente Executivo do ACES Entre Douro e Vouga I Feira/Arouca;

Seguidamente o Prof. Doutor Rui Carrapato, Director do Serviço da Pediatria do CHEDV, abordou o tema do aleitamento materno e suas vantagens;
A Enf.ª Vânia Coimbra, EESMO do ACES Entre Douro e Vouga I Feira/Arouca e Vice-Presidente da Associação Milagre de Vida, apresentou as actividades que o ACES e a ASMVPP vão realizar;

Enf.ª Helena, Enf.ª Chefe do Serviço de Obstetrícia do CHEDV, apresentou as actividades promovidas pelo CHEDV;
A Enf.ª Anabela Breda, Enf.ª Chefe do Núcleo de Partos do CHEDV moderou esta mesa;

Segui-se uma visita aos posters expostos no HSS finalizando na consulta Externo onde foi colocada a Mesa de Apoio ao aleitamento Materno.
A todos, que estiveram connosco e também àqueles que impossibilitados de comparecer, nos presentearam com telefonemas e e-mails, a todos o nosso muito obrigado!
Consulte o Programa e participe!

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Obrigada da Palestina...

A Micaela vive na Palestina. Em Fevereiro entra em contacto com a Associação para fazer connosco a preparação para o parto. Foram seis semanas de preparação para uma experiência única e indescritível, como ela nos relata da Palestina...


"Olá a todos,
Peço desculpa pela demora mas como sabem, a vida de mãe é uma vida bastante ocupada!

Queria agradecer-vos por todo o apoio que deram e por terem facilitado o meu ingresso no curso de preparação para o parto tão cedo.
A verdade é que aprendi muita coisa com o curso, estava na altura um pouco preocupada em como iria ser dar á luz na Palestina e as vossas sessões ajudaram-me a preparar melhor...

Como participei no curso muito cedo (comecei as 20 semanas), pude praticar todos os exercícios de relaxamento, kegels e tudo mais, para além de estar melhor preparada para alguns incomodos do 3º trimestre.
Aconselho realmente a quem puder a fazer esta preparação um pouco mais cedo (talvez no tão cedo quanto eu porque também podem ficar mais ansiosos...)!

Pois é, na noite de 1 para 2 de Julho nasceu a Mina!

Três dias antes notei uma pequena hemorragia, a médica disse-me na altura que era normal, que so significava que a dilatação tinha começado e que o parto seria para breve. Claro que "para breve" podia significar no dia seguinte ou daí a uma semana... na altura eu ainda estava a trabalhar porque era a melhor maneira que arranjei de me manter ocupada e para poder ter uma licença de parto mais longa quando a Mina já tivesse nascido, portanto, continuei a fazer a minha vida normal, com contracções mas, como tinha aprendido no curso: indolores e irregulares era só ensaio.

Passados três dias comecei a ficar preocupada poque a hemorragia continuava, em muito pequenas quantidades mas continuava, liguei á médica que me disse para ir ao hospital monitorizar o bébé para ver se estava tudo bem e eu ficar mais descansada.
No hospital, quando estava deitada a ouvir o coração da Mina foi quando senti a primeira contracção a sério e soube logo distinguir. A enfermeira disse-me que se fossem regulares e que se eu quisesse podiam administrar Pitocina. Eu percebi logo que era um primo qualquer da Oxitocina que tanto falavam no curso e que o que ela queria dizer e que se eu quisesse podiam provocar o parto, e é claro, recusei, não tinha razão nenhuma para acelerar um procedimento natural, e pedi para ir ao consultório da minha médica que ficava a uns 200 metros do hospital.

Assim fiz, e a médica disse-me que fiz bem em recusar e que o nascimento provavelmente seria daí a três dias. Ainda tentei convencê-la que nos veríamos nessa noite porque estava a sentir contracções regulares, mas como tinham começado quando estava a monitorá-las eram ainda muito espaçadas e a médica achou que ainda não eram significativas.
Fui então para casa porque achei que devia descansar o mais que pudesse porque estava com a sensação que ía ter uma longa noite.

Em casa comecei a contar o tempo entre contracções, tal como nos tinham ensinado e, durante todo o dia o tempo foi de 10 minutos. Por esta altura já estava a ficar confusa porque achava que as contracções ainda não eram fortes e, no entanto eram já de 10 em 10 minutos. Estive o dia todo a fazer a "cheirar a flor- soprar a vela", calma, em casa, entretida. Decidi dormir, e quando o meu marido chegou preparamos o jantar. Quando nos sentamos para jantar já não consegui comer porque as contracções ja estavam bem fortes. Decidi então voltar a contá-las, e qual não foi a minha surpresa, eram já de 3 em 3 minutos. Ficamos ali ainda a discutir se haviamos de ir ao hospital (que era a 5 minutos de casa e por isso estavamos tão relaxados) e, após uma contracção bem forte fiquei convencida.

Chamamos um táxi que demorou mais do que o normal. Durante a viagem que era de 5 minutos mandei parar o táxi a meio do caminho para ter uma contracção e tive outra á entrada do hospital. Lá consegui a muito custo ir até á sala onde tinha estado de manhã, onde me voltaram a monitorar. Viram a minha dilatação e, adivinhem: 9 cm!

Mandei chamar a minha médica e a partir dai tudo se desenrolou muito depressa, rebentaram-me as águas, comecei a sentir vontade de puxar e comecei a fazer as respirações de "soprar 30 velas" para ver se fazia tempo para a médica chegar mas a enfermeira disse-me para puxar que ela podia muito bem ajudar-me sozinha e então comecei a puxar, aproveitando sempre para relaxar o mais possível entre contracções. (Acho que fui mesmo boa aluna do curso, porque me lembro de a enfermeira me dizer na altura: "puxe! porque é que não está a puxar?" e eu responder-lhe: "não estou a ter nenhuma contracção! não é para puxar só nas contacções?" e ela: "ah, tem razão!")

A médica chegou passados 5 minutos, e foi o tempo de ela vestir a bata e as luvas, pôr-se em posição e... a cabeça da Mina já estava cá fora e só precisei de puxar mais uma vez para a Mina fazer a sua chegada triunfal a este mundo que estreou de imediato com um berro de saúde! Antes de qualquer banho ou injecção, ela foi colocada no meu estômago, a meu pedido, e deixamos que ela encontrasse por si própria o peito (o que fez rápida e ávidamente) e começasse a mamar.

Entrámos no Hospital ás 11h30 e á 12h15 a Mina estava cá fora com 50 cm e 3,080 kg, sem qualquer tipo de medicação ou episiotomia.

A Mina é um bébé muito calmo e carismático, vai mamar exclusivamente até aos 6 meses (nunca tivemos problemas com a amamentção e mil obrigadas por incentivarem tanto, sempre me senti confiante, mesmo sabendo que poderia vir a ter problemas porque sabia de muitas histórias de outras mães no curso inclusivé as instrutoras) e tem agora já quase 2 meses!

Tem sido uma experiência inigualável desde a chegada da nossa filha, assistir e ajudar no primeiro banho, a primeira mamada, o primeiro olhar, o primeiro sorriso...
Sei qu
e tive muita sorte em ter um parto excelente e rápido e uma super-recuperação mas também sei que tudo isto e devido á minha boa preparação e preocupação em informar-me o mais possível - e valeu mesmo a pena ter participado no curso de preparação para o parto da Associação que tornou possível este Milagre nas nossas Vidas. Obrigada a todas e espero que continuem o bom trabalho! "

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Exposição de fotografias: "Amamentar : Fonte de Amor"

Como é do vosso conhecimento Sta Maria da Feira prepara um Programa para a Celebração da Semana Europeia do Aleitamento Materno.

Nesse âmbito estamos a organizar uma exposição de fotografias subordinada ao temaAmamentar: Fonte de Amor”

- Quer participar nesta exposição?


Então envie até ao dia 15 de Setembro as suas fotos para o e-mail: associamilagredevida@gmail.com


Ás 3 fotos mais votadas pela Comissão Científica das 1 Jornadas "Amamentar Dá Mais Vida"que se realizam nos dias 8 e 9 de Outubro de 2010, na Biblioteca Municipal de Sta Maria da Feira, será atribuído um prémio de que daremos noticias aqui.


Participe envie a sua fotografia.


sábado, 31 de julho de 2010

Semana Mundial do Aleitamento Materno 2010

“Amamentação: apenas dez passos. O caminho amigo do bebé!”

A Semana Mundial do Aleitamento Materno (SMAM) comemora o 20 º aniversário da Declaração de Innocenti que apelou para a implementação dos Dez Passos em todas as instalações da maternidade.
...
Durante estes 20 anos, mais de 20.000 maternidades (cerca de 28 % de todas as maternidades do mundo), implementaram integralmente os Dez Passos, tendo sido certificadas pela Iniciativa Hospital Amigo do Bebé.
Durante este período, as taxas de aleitamento materno exclusivo aumentaram de forma significativa. No entanto, a redução das candidaturas das Instituições de Saúde à Iniciativa Hospitais Amigos do Bebé em todo o mundo, bem como a formação inadequada dos profissionais aliada a um certo incumprimento dos Dez Passos em maternidades credenciadas estão a contribuir para a estagnação ou declínio das taxas de aleitamento materno exclusivo em muitos países.
...
É hora de nos comprometermos com essa abordagem, reflectindo sobre aquilo que queremos para os nossos bebés e para as nossas famílias, uma vez que os serviços de saúde desempenham um papel vital no estabelecimento e sucesso da amamentação.

SMAM: Objectivos para 2010

- Chamar a atenção para os dez passos, de forma a melhorar os índices de amamentação;

- Renovar a acção das instituições de saúde, de forma a promover informação e apoio às mulheres;

- Informar as pessoas sobre os riscos da alimentação artificial e da introdução precoce de outros alimentos;

- Identificar as vantagens do aleitamento materno, incidindo no desenvolvimento e saúde da criança ao longo da vida e na saúde da mãe;
- Habilitar as mães para desfrutar em pleno do acto de amamentar, solicitando apoio e/ou aceitando o apoio dos profissionais de saúde.


Os Dez Passos para o sucesso da amamentação,
segundo recomendações da OMS/UNICEF:

1. Ter uma norma escrita sobre aleitamento materno, a qual deve ser rotineiramente transmitida a toda a equipa de cuidados de saúde.

2. Treinar toda a equipa de cuidados de saúde, capacitando-a para implementar esta norma.

3. Informar todas as grávidas atendidas sobre as vantagens e a prática da amamentação.

4. Ajudar as mães a iniciar a amamentação na primeira meia hora após o parto.

5. Mostrar às mães como amamentar e como manter a lactação, mesmo que tenham de ser separadas de seus filhos.

6. Não dar ao recém-nascido nenhum outro alimento ou bebida além do leite materno, a não ser que seja por indicação médica.

7. Praticar o alojamento conjunto - permitir que mães e os bebés permaneçam juntos 24 horas por dia.

8. Encorajar a amamentação sob livre demanda (sempre que o bebé quiser).

9. Não dar bicos artificiais (tetinas) ou chupetas a crianças amamentadas.

10. Encorajar a criação de grupos de apoio à amamentação, para onde as mães devem ser encaminhadas por ocasião da alta hospitalar.
.
.
.
.No nosso país existem 5 Instituições Amigas do Bebé:
.
 Hospital Garcia de Orta (Almada), desde 2005
 Maternidade Bissaya Barreto (Coimbra), desde Julho de 2007
 Hospital do Barlavento Algarvio (Portimão), desde Outubro de 2008
 Maternidade de Júlio Dinis (Porto), desde Outubro de 2009
 Maternidade Alfredo da Costa (Lisboa), desde Janeiro de 2010


Ainda temos um longo caminho a percorrer!
Passo a passo vamos conseguindo os nossos objectivos…
...
...
A Associação Milagre de Vida (AMVPP), em articulação com o ACES Entre o Douro e Vouga I (do qual faz parte o Centro de Saúde de Santa Maria da Feira), o CHEDV e a Câmara Municipal, está a coordenar o planeamento de uma série de actividades para realizar durante a Semana Mundial do Aleitamento Materno que, nos países europeus, se comemora entre 4-10 Outubro.
.
.
A AMVPP encontra-se já a organizar as 1ªs Jornadas de aleitamento Materno: “Amamentar dá mais vida!”
.
.
.

... Vamos ajudar as nossas mamãs a dar mais saúde e mais vida

às nossas crianças!

Unidos podemos fazer mais e melhor!

.

__________________________ Vânia Coimbra (EESMO)

Bibliografia
http://tensteps.org/ten-steps-successful-breastfeeding.shtml
http://worldbreastfeedingweek.org/

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Amamentar dá mais vida! Vejam o estudo!

De acordo com um estudo publicado pelo jornal “Pediatrics” se as mães amamentarem os seus bebés nos primeiros seis meses de vida estão a salvar pelo menos 1000 vidas em cada ano!!!

Nos Estados Unidos morrem 911 bebés por ano devido às baixas taxas de aleitamento materno!

A Organização Mundial de Saúde alerta para a importância da amamentação exclusiva, isto é, a alimentação só com leite materno, nos primeiros seis meses de vida, para que os bebés tenham um óptimo crescimento, desenvolvimento e máxima saúde.


Por isso mamãs, vamos dar mais vida aos nossos bebés!!! Para isso, basta amamentar! Para o bem do vosso filho, não desistam!!!


Associação Milagre de Vida - Preparação para o Parto

terça-feira, 15 de junho de 2010

"A brincar aprendo"

A convite do Centro Social de Lourosa a Associação desenvolveu um programa no infantário desta Instituição, inserido nas comemorações do dia da mãe.

“A brincar aprendo”
Depois do Acolhimento e das apresentações, organizaram-se pequenos grupos para brincae e aprender, com as seguintes actividades:
- Jogo quebra gelo, “esconde esconde” ;
- Conto “ A LIli “ (com a presença da boneca LIli);
- Musicoterapia.
(Equipa: Joana Pinto (coordenadora) Raquel Pinto e Manuela (jogo quebra gelo e conto) Sílvia Dias (musicoterapia)

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Feira da Saúde'10

A USF Fiães vai comemorar o seu 2º aniversário no dia 20 de Junho de 2010 com a realização de uma Feira de Saúde das 9h às 13h, aberto a toda a população (para ver o cartaz clique na imagem).

Haverá barraquinhas e a Associação vai estar lá, vá visitar-nos temos algumas surpresas!!!

Durante toda a manha serão realizados vários rastreios e actividades como avaliação de tensão arterial, glicemia capilar, colesterol, peso, indice massa corporal, PSA, rastreios orais, nutricionais, de podologia, optometria e osteoporose.
Pelas 10h será realizada uma caminhada pela freguesia de Fiães.

Para todos aqueles que pretendam doar sangue, salientamos que haverá uma dávida de sangue com o apoio do Instituto Português do Sangue.
Cuidem da vossa saúde e participem!!!

quarta-feira, 2 de junho de 2010

O Nascimento do Ema!!!

Foi no maravilhoso dia 28 de Abril pelas 11H59 que a Ema nasceu, exactamente ás 39 semanas de gestação, através de cesariana devido ao facto de a nossa princesa não ter conseguido dar a volta no útero da mamã.
Este não foi o tipo de parto que tínhamos idealizado, pois sempre foi nossa vontade passarmos pela experiência de um parto normal em que o Bruno pudesse assistir ao nascimento. Tendo sido cesariana, tal não foi possível.

Assim, por volta das 11H dei entrada no bloco, munida do kit da LUSOCORD, para ser submetida á cesariana que eu tanto quis evitar e que tanto receio me provocava. Foi-me administrada a epidural, procedimento que não me causou dor nem desconforto, e logo comecei a perder a sensibilidade na minha perna esquerda, passando para a perna direita e subindo para o meu abdómen.

Nesta altura entrou a equipa médica, liderada pela Dra. Célia Araújo, que imediatamente iniciaram a cesariana. É uma sensação um pouco estranha quando começam a fazer os cortes no abdómen e a aplicarem os afastadores, apesar de nunca sentir qualquer tipo de dor.

Poucos minutos depois, retiraram a Ema e logo o seu maravilhoso choro foi ouvido e não consegui conter as lágrimas. Não a consegui ver imediatamente pois tenho miopia e não me foi permitido levar os meus óculos para o bloco mas a Dra. Célia informou-me imediatamente que era uma menina linda.

Assim, só após terem terminado os primeiros cuidados e testes ao bebé, é que uma enfermeira me trouxe aquele lindo embrulhinho bem juntinho da minha cara para eu a puder ver por uns breves instantes, que emoção!!

De seguida levaram logo a Ema para conhecer o papá, apesar de só terem deixado o Bruno espreitar a bebé e não ter tido sequer a oportunidade de pegar na Ema ao colo.

Logo de seguida ela foi colocada na sala de recobro sozinha, com uma fonte de calor, aonde ela teve que aguardar a minha chegada.

Quando terminaram a cesariana, foi levada para junto da Ema na sala de recobro e nesta altura uma enfermeira colocou-a junto do meu peito para que ela pudesse mamar, a enfermeira teve que nos dar uma ajuda pois a Ema não queria pegar na mama.

Subimos as duas para a maternidade por volta das 15h30, e aí permanecemos até a nossa alta no dia 1 de Maio. Com excepção de uma das noites do nosso internamento, tivemos um óptimo apoio por parte das enfermeiras, sempre muito prestáveis e atenciosas.

A amamentação e o aumento de peso tem sido uma batalha desde o primeiro dia para nós. A Ema não quis pegar na mama apesar de todos os meus esforços e ficava muito irritada e zangada com o facto.

Tive que recorrer á extracção do leite com uma bomba e dar-lhe o leite materno pelo biberão, muitas das vezes tendo que a acordar para ela mamar.

Só no final da terceira semana é que a Ema começou a engordar o valor mínimo diário.

Continuei a insistir com a Ema para pegar na mama mas só agora, exactamente no dia em que ela completou um mês de vida, é que ela se decidiu a pegar na mama e assim tem sido desde esse dia para grande alegria minha!

O curso que fizemos na Associação Milagre de Vida foi uma óptima preparação. Para nós, que não tivemos um parto normal, os cuidados no banho e a amamentação foram muito úteis.

Aconselhamos a todos os novos pais a participarem num curso de preparação pré-parto.
É fantástico ter a Ema nas nossas vidas, cada dia descobrimos algo novo e não há emoção mais maravilhosa do que a ver sorrir.

A equipa da associação deseja-vos as maiores felicidades, tal como diz, "não há emoção mais maravilhosa do que a ver sorrir"

Que esse sorriso seja a força para melhor viver, as mudanças desta nova etapa da vossa vida famíliar.
PARABÉNS!!!

PARABÉNS!
Desejamos-vos as maiores felicidades, ficamos ao vosso dispor

terça-feira, 25 de maio de 2010

O nascimento do Salvador

Já estava com 41 semanas e o Salvador não queria sair do quentinho da barriga da mamã e por isso a indução foi marcada.

Eram 7.30h do dia 24/03/2010 quando me levantei. Tomei um duche, o pequeno-almoço, coloquei o resto das coisas no saco e rumei ao hospital. Tinha dormi bem, o que foi óptimo, pois, estava calma, mas ao mesmo tempo ansiosa...

Demos, eu, o Salvador e o Daniel, entrada no hospital por volta das 8.30h, levava as malinhas, minha e do Salvador e ainda a térmos da Lusocord.

Fui atendida por um enfermeiro chamado Salvador (é ou não é coincidência!?), fiz ctg, fizeram-me eco e depois assinei a papelada toda.

O passo seguinte foi despir-me e colocar uma bata espectacular, onde cabiam umas 5 ou 6 Vânias. Chamei o Daniel e fomos para a sala de dilatação.

Na sala de dilatação, colocaram-me medicação para a indução por volta das 9.45h, a medicação foi directa no útero, e durante 2 horas não me pude levantar.

As contracções foram aumentando e por isso os exercícios de respiração começaram a ser colocados em prática. Até que por volta das 13.00h, estava o Daniel quase a dormir no cadeirão, rebentaram-me as águas espontaneamente, o Daniel até se assustou, pois ouviu-se um barulho semelhante ao de um balão cheio de água a rebentar! Ele foi chamar a enfermeira que me veio observar.

As dores intensificaram-se mesmo muito, em dor e em espaçamento. Como já tinha dilatação suficiente passei para a sala de partos e foi-me administrada a epidural. Desde o rebentamento das águas até o efeito da epidural foi quase 1 hora.

Já na sala de partos, a nº.2, e com o efeito da epidural e com ocitocina, iniciou-se mais uma vez a espera. Desta vez a espera que a dilatação ficasse concluída para que o nosso bebé viesse ao mundo.

Fui sendo observada por médicas, enfermeiras. Até que perto das 15.00h, já com dilatação completa, reuniu-se a equipa médica e iniciei a fase de período expulsivo.

Mas foi falso alarme, porque o Salvador estava muito subido e a olhar para a lua, e por isso não na melhor posição para sair.
A equipa saiu da sala mas eu tive ordens para continuar a puxar sempre que tivesse vontade, mas na posição de lado, isto para o bebé descer.

Por volta das 17.30h a equipa voltou a reunir-se na sala e foi tudo preparado para que fosse desta.

Iniciou-se uma série de puxões, o Daniel foi solicitado para ajudar e empurrar a barriga, mas com receio de magoar não conseguiu e então foi um enfermeiro que o fez.

Estava exausta e cheia de sede, mas o meu bebé lindo nasceu e foi com uma emoção sem tamanho e a chorar de alegria que o recebi. Que quentinho e que fofinho!!! É um momento indescritível.

O momento mais feliz da minha vida até agora foi no dia 24/03/2010, às 17.50h. O Salvador nasceu e veio conhecer os papás.

Com alguns minutos de vida o meu bebé foi colocado na maminha e pegou logo, ficamos em observação durante 2 horas e só por volta das 20.00h fomos para o quarto.

Estivemos no hospital até às 17.00 do dia 26/03/2010.

Adorei o facto de ter sido parto normal, apesar de muito doloroso é de uma e
moção incapaz de caber em palavras.

A equipa médica foi excepcional mas relativamente ao período de tempo que estive na enfermaria não deixa saudades...

Refiro-me ao facto de estar habituada a ser apaparicada por estar grávida e depois ali somos apenas mais uma, senti falta do lado mais humano…isto e mais o facto de incentivarem ao suplementoapesar das dificuldades iniciais, hoje, com 24 dias, o Salvador continua apenas com maminha e está a crescer lindamente, ele nasceu com 3.440g e 50cms e às 3 semanas já estava com 4.050g e 54cms.

Quero agradecer à Associação Milagre de Vida pelo curso que nos, a mim e ao Daniel, proporcionaram, foi muito útil, ajudou-nos na concentração e fundamentalmente a não entrar em desespero quando as dores começaram a apertar. Actualmente colocamos em prática as massagens e a técnica do banho.
Beijos,
Vânia. Daniel. e Salvador


A associação está muito feliz por poder ajudar os casais a prepararem-se para este momento tão maravilhoso e para as mudanças que esta nova etapa da vossa vida famíliar vão acontecer.
PARABÉNS!
Desejamos-vos as maiores felicidades, ficamos ao vosso dispor.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Fotos do Workshop da massagem

Sem palavras, porque as imagens falam por si!



x

Breast Crawl - a primeira refeição do bebé

A Micaela Miranda sugeriu este vídeo que na verdade é fantástico porque tem uma parte filmada num hospital, onde o bebé recém-nascido é colocado em cima da mãe e ele estende-se, mexe-se até conseguir o seu objectivo, a mãe só vai acarinhando...

A Micaela diz "era bom q fosse assim em tds os hospitais!"
Mas nós mães, temos o direito de o reivindicar este encontro…

quarta-feira, 14 de abril de 2010

O papel do pai durante o trabalho de parto

1.O apoio do pai durante o trabalho de parto constitui um elemento essencial para que a parturiente tenha uma experiência positiva do parto e pós-parto.

Se pretende participar activamente no nascimento do seu filho acredite que o nascimento dele depende tanto da mulher como de si próprio…
Comece por participar activamente na gravidez. Procure informar-se sobre a gravidez, o parto, o período pós-parto, os cuidados ao bebé …

Acompanhe a sua companheira às consultas e às ecografias…

Coloque questões e dúvidas à equipa que está a vigiar a gravidez…

Frequente o Curso de Preparação para o Parto…

Visite o Núcleo de Partos onde o seu bebé vai nascer.

Ao aprender mais sobre o processo de nascimento, acaba por descobrir de que forma é que pode oferecer apoio durante o nascimento do seu filho.


2. Prepare-se para ser o suporte principal. Mentalize-se que é um elemento da equipa que está a acompanhar a sua companheira neste momento tão intenso das vossas vidas.


Colabore com os outros membros da equipa de saúde.


Esteja ao lado da sua companheira com todo o seu amor e carinho. Ajude-a a respirar adequadamente durante as contracções e a mudar de posição de forma a ficar mais confortável (ver artigo sobre "Como aliviar a dor de parto" em: http://csfeiracentrodesaude.blogspot.com/2010/03/como-aliviar-dor-de-parto.html ), faça-lhe uma massagem, toque-lhe suavemente no rosto, transmita-lhe o seu calor. Mantenha-se alegre e optimista!

3.O estar presente faz a diferença.
O “parceiro de nascimento” é geralmente o membro da equipa que conhece melhor os desejos da parturiente, tendo capacidade para melhor interpretar os seus gestos, as suas reacções e suas sugestões conseguindo expressá-las aos profissionais de saúde de forma mais adequada. A história pessoal com a sua companheira é algo que a equipa do núcleo de partos não tem, não conhece.


4.Para cuidar da parturiente, cuide também de si.
Use roupas confortáveis e leves e faça pequenas pausas para ir ao wc, para caminhar e se alimentar para ter a energia necessária para este momento tão especial.


5.Vá fazendo perguntas à equipa sobre o desenrolar do trabalho de parto.


6.Esteja preparado para experimentar algumas emoções fortes.
Muitas vezes o pai fica tão absorvido com a proximidade do nascimento do bebé que acaba por se esquecer de apoiar a mulher quando ela mais precisa, durante o período expulsivo.
Não se esqueça que tem uma mulher incrível ao seu lado e que neste momento está pronta para “dar à luz” o seu filho.
Admire-a, transmita-lhe as emoções e os sentimentos que está a viver, encoraje-a de forma positiva, incentive-a a puxar e a respirar adequadamente no intervalo das contracções.


7. Finalmente quando o bebé nascer, acolha-o com carinho.
Fale com ele (ele conhece a sua voz), embale-o de forma a proporcionar-lhe uma sensação de calma, ajudando-o na sua transição para o mundo exterior.
Acariciá-lo também irá reduzir as hormonas do stress e melhorar a sua respiração e regulação da temperatura.

Ajude a colocar o bebé à mama. A primeira hora após o parto constitui o momento ideal para colocar o bebé à mama, uma vez que se encontra desperto, com reflexo de sucção e deglutição "apurado" e desejoso do contacto precoce com a sua mãe (o calor da sua pele, o seu odor, o seu toque…).
Torne estes momentos iniciais da vida do seu filho momentos únicos e inesquecíveis!


8.Durante o período pós-parto o casal experiencia uma mistura de momentos alegres e difíceis. A imprevisibilidade de cada dia constitui um verdadeiro desafio à vida familiar.
O acréscimo de tarefas e responsabilidades, o próprio conhecimento do bebé que exige tempo e disponibilidade associado ao cansaço das noites mal dormidas acaba por abalar o sistema e a organização familiar que terá que sofrer alguns reajustamentos.

No entanto, participe desde o início de vida do seu bebé mudando-lhe a fralda, dando-lhe o banho, efectuando a massagem, apoiando na amamentação, embalando-o…
...
Estabeleça o contacto pele-a-pele (coloque o seu bebé despido sobre o seu peito para que ele tenha o prazer de sentir o seu calor, o seu cheiro, o seu batimento cardíaco).

Seja compreensivo com a sua companheira que viveu momentos muito desgastantes e que está a passar por alterações hormonais que a podem destabilizar um pouco a nível psicológico.

Verá que com o decorrer do tempo, a vida familiar reorganizar-se-á e desfrutará com maior tranquilidade o milagre do nascimento.
....
_____________________________________ Vânia Coimbra, Enfermeira especialista Saúde Materna e Obstetrícia
...
Bibliografia

segunda-feira, 29 de março de 2010

O QUE ESPERAM AS GRÁVIDAS / CASAIS DO PARTO?

Resolvemos perguntar às grávidas que estão a frequentar o curso de preparação para o parto, o que esperam relativamente ao seu parto. Ficam aqui as suas expectativas... o parto imaginário!


"Sempre desejei ter um parto normal com acompanhamento do pai. Recorrer à epidural só o faria caso as dores fossem muito intensas pois penso que a respiração e a calma da mãe (e do pai) ajudam imenso na hora do parto. No entanto, a minha bebé ainda não virou, mantem-se ainda bem sentadinha. Devido a este facto, provavelmente terei que ser submetida a uma cesariana, o que me deixa a mim e ao pai bastante tristes. Pois desta forma, não iremos ter a oportunidade de passar pela experiência fantástica que deverá ser um parto natural / normal."

Sandra Pinho


"Colocando de parte todos os procedimentos e dor que envolve o parto em si, a minha expectativa desta experiência é que deve ser o ponto alto de comunicação entre a grávida / pré-mamã e o seu filho."

Anabela Mateus


"Quando penso nisso (no parto) tenho dificuldade em me abstrair do medo que tenho da dor. Por isso, o exercício que faço é tentar pensar nesse momento de forma descontraída, e uma vez que não sei o sexo do bebé, foco-me mais nesse momento da descoberta. Tento não ter expectativa nenhuma em relação ao parto. Nunca será nada que eu imagine, por isso tento não imaginar."


Renata Santos


"Relativamente às minhas expectativas, posso dizer que gostaria que o parto corresse o melhor possível e com todo o apoio da equipa que me for acompanhar. Gostaríamos que fosse um momento tranquilo para mais tarde recordar com muita alegria e só com boas lembranças."
"As minhas expectativas partem de princípio por todo um processo com muita alegria, relaxamento, serenidade e entre outros factores positivos de forma a que seja um parto com naturalidade."


Ana Luísa e João Paulo


Esperamos partilhar, convosco, o parto real! Até lá, aproveitem muito bem esta viagem indescritível ...

______________________________

Sónia Soares